UEMA adere à campanha em prol da manutenção do orçamento da Universidade Aberta do Brasil - UEMA - UemaNet

UEMA adere à campanha em prol da manutenção do orçamento da Universidade Aberta do Brasil

IMG_5513No último dia 24.08 foi o Dia D da Campanha Nacional em Favor da Manutenção do orçamento da Universidade Aberta do Brasil – UAB. A Universidade Estadual do Maranhão, por meio do Núcleo de Tecnologias para Educação para Educação – UEMANET, adota essa causa, uma vez que possui, em parceria com a CAPES, 22 polos UAB, ofertando cursos de graduação.

Os cortes no orçamento do Governo Federal para educação têm afetado o ensino em todas as universidades do país, inclusive na UEMA. O orçamento teve corte de 60% e as bolsas de 30%. “A UEMA está presente em 56 polos de educação a distância, sendo destes 22 UAB e o trabalho fica difícil com essa atitude do governo federal. Então, essa campanha vem exatamente em prol da continuação de uma educação com qualidade e não precarizada com os cortes que tivemos. Essa campanha vem para conseguirmos continuar ajudando uma quantidade enorme de pessoas que nem imaginava em ter uma educação superior. A EAD proporciona isso, faz a diferença na vida de muitas pessoas e é por isso que lutamos”, disse a coordenadora geral do UEMANET, Profa.Ilka Serra.

Atualmente, a UEMA possui, na modalidade a distância, 4 cursos de graduação (Filosofia, Pedagogia, Administração Pública e Formação Pedagógica), todos em andamento; 14 técnicos (Guia de Turismo, Alimentos, Edificações, Contabilidade, Serviços Públicos, Meio Ambiente, Controle Ambiental, Manutenção Automotiva, Segurança do Trabalho, Informática, Redes de Computadores, Planejamento, Gestão em TI, Meteorologia e Mineração), estando oito em andamento; 6 pós-graduações (Educação do Campo, Ensino da Genética, Psicologia da Educação, Gestão Pública, gestão Pública Municipal e Gestão em Saúde), todas em andamento; além de vários projetos de novos cursos e de inovação, que dependem do investimento do governo federal. “A verdade é que com esse corte não temos como abrir novas turmas”, destacou Ilka.

Com uma petição pública, professores e alunos esperam conseguir apoio para garantir o funcionamento do sistema, que é formado por universidades que oferecem cursos de ensino superior a distância para a população que tem dificuldade de acesso à formação universitária e para professores que atuam na educação básica.

Todos juntos por uma educação a distância pública, gratuita e com excelência de ensino. A educação a distância não pode parar!

Assine a petição pública (http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR83558) e faça a sua parte! A expectativa é coletar pelo menos 500 mil assinaturas.

Assista ao vídeo da campanha no youtube (https://youtu.be/do5LaUrNG3E) e saiba mais.